JOTA

Agregador JOTA de pesquisas eleitorais

Ferramenta permite que pesquisas sejam agregadas e mostrem intenções de voto mais próximas da realidade; com o modelo estatístico desenvolvido pelo JOTA, podemos comparar resultados de diferentes institutos de pesquisa

Segundo Turno (Votos Válidos)
Tendência geral das pesquisas
Margem de erro
Resultado de uma pesquisa




Metodologia

O modelo do agregador em pesquisa estimulada - assim como nosso modelo anterior para espontânea, lançado em abril - é bayesiano e adapta modelos já utilizados na ciência política. Essa prática de agregar pesquisas é pouco comum no Brasil e ficou famosa nos EUA no site de Nate Silver, o FiveThirtyEight, que usa ferramentas estatísticas para analisar eleições. Nos últimos meses, a equipe do JOTA criou um modelo estatístico próprio para agregar as diferentes pesquisas e mostrar tendências eleitorais. O modelo  bayesiano usa informações anteriores para aprender a partir dos dados e tentar diminuir o grau de incerteza.

Agregar pesquisas por médias simples é perigoso por diversos motivos. Primeiro, dá-se peso igual a diferentes institutos. Mais importante, dá-se peso igual a pesquisas mais distantes e mais próximas da eleição. Os resultados históricos de eleições passadas mostram que pesquisas realizadas mais próximas das eleições se aproximam mais dos resultados finais - o que é algo intuitivo, já que as pessoas passam a consolidar mais o seu voto. Tão importante quanto isso é o fato de que médias simples simplesmente ignorarem a diferença de tamanho de amostras. Uma pesquisa com apenas 1000 pessoas entrevistadas produz menos confiança do que uma pesquisa com 2000 pessoas (fato definido na teoria estatística com duas leis importantes: a lei dos grandes números e a teoria do limite central ). O N de uma pesquisa é algo definidor para a sua confiança - e o tamanho passa a ser menos relevante, normalmente, após uma amostra com mais de 2000 pessoas.

Por isso, o modelo do JOTA considera três variáveis fundamentais para agregar as diferentes pesquisas: número de dias para a eleição,tamanho da amostra da pesquisa, histórico do instituto de pesquisa. Com esses critérios, o JOTA acredita que o modelo se torna mais confiável e preciso. A cada modelo realizamos mais de 2500 simulações para que se chegue a um resultado confiável. Além disso, os testes recomendados pela teoria mostram que os resultados convergem para algo confiável.